quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O Relançamento do Termalismo Caldense II

Os Pavilhões do Parque continuam a ser uma peça patrimonial importante (e controversa) entre todas as que constituem a Estância Termal das Caldas da Rainha

Exogenesis Symphony Pt 1: Overture by Muse
-
A Imprensa local publicou a semana passada um Estudo (prévio?) feito pelo ISCTE-IUL no sentido de se relançar, finalmente, o Termalismo nas Caldas da Rainha. Como não transparece que é a versão definitiva do Estudo/Proposta não me parece oportuno analisar e ou pronunciar-me, actualmente, sobre o mesmo.
No entanto não posso deixar de anotar o aparente “pessimismo” que se verifica na introdução.
Quando se refere “Os últimos cento e vinte anos das Termas das Caldas da Rainha, as propostas dos últimos trinta sobre o Património do Hospital Termal e alguma tradição nacional sobre Estudos confirmam a possibilidade do presente Estudo do ISCTE - IUL não ser implementado e ser arquivado…”
…” dado que “foram elaborados quatro Planos de Reforma, como tentativas de impor nova estratégia de revitalização termal, três delas com expressão legislativa própria para o Hospital Termal, datando o último de 1917, sem sucesso assinalável”;
“foi defendida por quatro vezes (1860, 1893, 1965, 1999) a separação física entre estância termal e hospital de “doenças gerais”
“por quatro vezes surgiram propostas de arrendamento, concessão ou privatização da estância balnear e ou dos seus anexos (1899, 1904, 1917, 1996), que nunca viriam a ser contempladas”.
Estes últimos dados foram executados numa altura em que a data (mais recente) limite para referência era o ano de 1999. Depois ainda existiram novas propostas para Concessão (que apresentámos, enquanto representante da Instituição, ao Ministério da Saúde) em 2003 e em 2005 – esta última com Caderno de Encargos entregue para aprovação pelo M. Saúde e apoiada pelo parecer da Agência Portuguesa para o Investimento e por todos os Poderes e Forças políticas locais). Note-se que em 2003 o processo passou ainda pelo Grupo de Missão Parcerias em Saúde onde esteve durante cerca de 2 anos em busca de solução. Finalmente, em 2008, surgiu mais um dado novo que alterava a equação e, em consequência, o seu resultado: A eminente fusão do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha (CHCR) com os Hospitais de Peniche e Alcobaça – dando origem ao Centro Hospitalar Oeste Norte (CHON). Propusemos na altura por ofício uma proposta (e não um Estudo) fundamentada para se estudar (Estudos de Mercado e Viabilidade Económica) a formação eventual de uma Fundação Público-Privada com a integração de múltiplos agentes e Entidades locais e Privadas que também mereceu consenso local. Posteriormente apareceu mais um dado novo: a instalação de uma grave crise Económica e Financeira global com repercussão nacional. É portanto já com esta nova “envolvente” que o actual Estudo prévio (?) do ISCTE é desenvolvido.
Ou seja se o Termalismo ainda não foi relançado, desde 1996, nas Caldas da Rainha tal deve-se essencialmente a uma enorme rotatividade das Equipas Ministeriais (8 equipas diferentes nos últimos 12 anos) e à hesitação e pouca celeridade que mereceu. Tiveram ainda influência o aparecimento frequente de diferentes variáveis que obrigaram os diferentes Conselhos de Administração a apresentar novas propostas adaptadas a novos dados que surgiram alterando os anteriores enquadramentos político, jurídico e financeiro. Continuaremos atentos ao desenvolvimento de um assunto de grande importância Local e Nacional e a ele voltaremos neste blogue sempre que o considerarmos apropriado e oportuno.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Labyrinths

Ariadne - Dead Can Dance

*
Life is a fantastic labyrinth

Inside there are other labyrinths

Sometimes when we think we´ve found the way out there is the beginning of another Labyrinth

On our way we (like Ariadne) leave a wire
In search of logic signals
And an answer:
The big one

There are surprises
Bad and good
In all labyrinths
But one labyrinth is different from the others
Is a labyrinth called The House of Love
Where logic is not logical
And where the wire doesn´t work to find the right way

Otherwise we cannot discover a special secret
Waiting somewhere for us
In The House of Love

Only our heart can see it.
If it happens - or not - in The House of Love

The heart knows and recognize the first moment of it
When we meet another one not looking to the wire
But also looking inside the eyes
So each other will know they can live magic moments

So they can bring
Love, Joy and Compassion
To people walking at the same time
Outside The House of Love
In others Labyrinths of Life

Until one day we understand
The day we all find the big answer
When the wire ends and we fly into the stardust
Surrounding what we call the Labyrinth of Life

Then

We really see

It was/is not a Labyrinth
It is an illusion
(VT)
*

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Distance

The minute I heard my first love story,

I started looking for you, not knowing
how blind that was.

Lovers don't finally meet somewhere,
they're in each other all along.

(Rumi)


L'immensità - Mina

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Moonlight whispers

Palacete Almeida Araujo - em frente da Lagoa de Óbidos

Some Kiss We Want

There is some kiss we want with
our whole lives, the touch of
spirit on the body. Seawater
begs the pearl to break its shell.
And the lily, how passionately
it needs some wild darling! At
night, I open the window and ask
the moon to come and press its
face against mine. Breathe into
me. Close the language- door and
open the love window. The moon
won't use the door, only the window.

(Rumi)


Noche de ronda - Nat King Cole
(Luna que se quiebra sobre las tinieblas de mi soledad...)

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Mimesis

Across the oceans. Across the seas. Over forests of blackened trees.
Through valleys so still we dare not breathe, to be by your side.

To Be By Your Side - Nick Cave

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Rockin´ around

Pormenor de falésia a norte da praia da Foz do Arelho

Like a Rock – Bob Seger

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Cais

Don´t know where. Don´t know when.  But I know we´ll meet again.

We'll Meet Again - Frank Sinatra