segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Hidden path


And if every way is closed before you,
the secret one will show a secret path no other eyes have seen.
(Rumi)

Hidden track - False Mirror

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Dreams on water


Let the water settle; 
you will see the moon and stars mirrored in your being
(Rumi)


A Dream - Papercut

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Today the wind is perfect


ON A DAY WHEN THE WIND IS PERFECT

On a day
when the wind is perfect,
the sail just needs to open and the world is full of beauty.
Today is such a
day.

My eyes are like the sun that makes promises;
the promise of life
that it always
keeps
each morning.

The living heart gives to us as does that luminous sphere,
both caress the earth with great
tenderness.

This is a breeze that can enter the soul.
This love I know plays a drum.  Arms move around me;
who can contain their self before my beauty?

Peace is wonderful,
but ecstatic dance is more fun, and less narcissistic;
gregarious He makes our lips.

On a day when the wind is perfect,
the sail just needs to open
and the love starts.

Today is such
a day.

~ Rumi ~

This is true - Marisa Tomei - A Gift of Love II - Deepak Chopra and friends

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

White on black

The Swan (Saint-Saens) - Yo Yo Ma


Temos que mudar. 
Quando terminava a minha "reportagem" sobre o evento da limpeza do Parque das Caldas desencadeado e feito por elementos da população deparou-se-me um cisne que surgiu com um porte "imperial".
Com a sua imagem presto a minha singela homenagem a todos quantos contribuíram generosamente no dia 16-12-2012 - cada qual à sua maneira e como podia. Afinal um exemplo de cidadania a ser repetido não só nas Caldas mas por esse País fora. Uma prova que "yes we can" sem ficarmos à espera de uma qualquer Providência. Há ainda muito por fazer na limpeza do Parque e esperamos que apareçam cada vez mais pessoas a cuidar daquilo que afinal é de todos nós e uma das salas de visita mais bonitas que temos. Temos que mudar e em vez da passividade habitual (magistralmente caricaturada por Bordalo) e estarmos à espera que outrém faça aquilo que nós podemos fazer - "do it yourself". O individualismo deve dar lugar a um novo sentido do colectivo. Sobretudo numa altura de grande aflição para o País - a solidariedade e tolerância devem integrar o nosso modo de vida. Seria bom que este gesto se propagasse como uma doença boa e inexoravelmente contagiosa. Não esperemos por Sebastianismos impossíveis. Galvanizemo-nos antes a nós próprios e ajudemos os vizinhos sem estar à espera que chegue a nossa vez de sermos ajudados. Arregacemos as mangas nestes tempos em que sopra a depressão e cuidemos do nosso país. Temos que mudar.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Reflectindo


Lago do Parque D. Carlos I - Caldas da Rainha


Sanctuary - Secret Garden

Coincide este "post" com um fim de semana em que a população se disponibiliza (Domingo) a limpar o Parque e a Mata das Caldas da enorme quantidade de folhas caídas - porque o C. de Administração do Centro Hospitalar não tem verba para tal e porque se assiste a uma "paralisia" da Câmara - não intervindo.  Aliás é imoral a falta de resposta da Câmara aos sucessivos apelos ao longo de muitos anos de várias Administrações do Centro Hospitalar para contribuir para a manutenção do Parque e Mata. Porque não podemos esquecer que aqueles espaços são usufruídos sobretudo por munícipes (para além dos eventuais termalistas) e porque a Câmara nunca construiu espaços verdes alternativos para a população. Apesar de ofícios e reuniões (onde se chegaram a propor protocolos de gestão conjunta) a Câmara nunca se mexeu  e até a água municipal o Hospital tinha que pagar (até conseguir canalizar água superficial das minas da Mata para abastecer o Lago e o Parque). Esta situação do Parque Termal das Caldas da Rainha suscitou-me ainda a seguinte reflexão:
Considerando que vivemos uma altura ainda plena de incertezas sobre o futuro do Termalismo Caldense e em que recentemente se anunciou que o Ministério da Saúde decidirá o destino daquele - após auscultação de diversas entidades por parte do actual Conselho de Administração (CA) do recém-criado Centro Hospitalar do Oeste (CHO) e atento o facto da criação deste implicar como consequência a “separação” jurídica entre a Estância Termal das Caldas da Rainha e o Hospital Distrital.
Considerando que o parecer final do CA do CHO deverá ser apresentado superiormente até Março (120 dias após a sua nomeação).
Atrevo-me a sugerir, sem prejuízo de outras iniciativas sobre a matéria, na qualidade de cidadão, que sejam organizadas, urgentemente, reuniões abordando exclusiva e pragmaticamente duas questões essenciais, no meu modesto entender, sobre o relançamento termal em apreço. Assim poderiam ter lugar 2 fóruns com esses 2 temas que poderão ser fulcrais e clarificadores para o caminho a percorrer.
No primeiro participariam todas as Individualidades credíveis na matéria e Entidades colectivas com uma palavra a ser levada em conta e ou com reconhecida ligação ao assunto - opinando sobre as "guide-lines" fundamentais sobre as quais se deveria construir o futuro modelo para o termalismo caldense. Desta 1.ª reunião alargada (duraria uma manhã ou um dia - consoante o nº de intervenientes) seriam extraídas conclusões com o denominador comum das diferentes opiniões expressas por todos os intervenientes. Este parecer final e consensual entre todos serviria como uma base contendo as linhas de orientação fundamentais sobre as quais deveria assentar no futuro - a estratégia e o modelo para relançamento do termalismo caldense. Uma base alargada de consensos entre todos os actores principais nesta matéria, que ficariam vinculados aquela, será essencial para que vingue uma futura estratégia a estabelecer e que seja adequada para o Relançamento Termal nas Caldas da Rainha.
Mais tarde num segundo forum seriam ouvidas as opiniões de vários especialistas em ” Estudos de Viabilidade Económica e de Mercado" (Nacional e Internacional) e eventualmente de Juristas que comparassem (uma primeira análise com prós e contras) as diferentes possibilidades de modelo e respectivos enquadramentos jurídicos para uma futura Entidade gestionária para todo o Património Termal que integra a Estância Termal das Caldas da Rainha - obedecendo às linhas de orientação encontradas anteriormente.
Das conclusões de ambas seria dado conhecimento, em tempo útil, aos diferentes patamares hierárquicos do Ministério da Saúde.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

From my window


Anoitece e a chuva cai no cinzento que sobe lá fora na melancolia de Domingo.
Tempo parado no silêncio da casa onde caiem as notas de uma velha melodia.
E as notas e as gotas cá dentro rimam na maré do dia adormecido nos meus braços.


My Melancoly baby - Ella Fitzgerald

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Garden date


Le Jardin

Des milliers et des milliers d'années
Ne sauraient suffire
Pour dire
La petite seconde d'éternité
Où tu m'as embrassé
Où je t'ai embrassèe
Un matin dans la lumière de l'hiver
Au parc Montsouris à Paris
A Paris
Sur la terre
La terre qui est un astre.

(Jacques Prévert)


The Garden meeting - John Williams

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A Salamandra



Salamandra-de-fogo, Salamandra comum ou Salamandra-de-pintas-amarelas.
Outros nomes comuns: saramela, saramaganta.


Salamander Pie - Jay Leonhard

Na sequência de outros “posts” acerca da fauna (ver etiqueta) da Mata das Caldas da Rainha hoje é dia da Salamandra. Neste momento é frequente encontrá-las pois é altura em que, após o acasalamento, procuram locais com água para depositarem os ovos e acontece aí ficarem retidas porque caiem em pequenos depósitos de águas pluviais existentes na Mata e depois não conseguem subir a parede de cimento. A da fotografia teve a sorte de ser retirada de uma dessas “armadilhas” (onde já tinha desovado já que se viam os seus girinos a nadar) e pôde regressar ao seu meio “mergulhando” sob as raízes de uma árvore.

Acredita-se que as salamandras estão entre os moradores mais antigos do planeta, pois cientistas já encontraram fósseis com 165 milhões de anos na China e na Mongólia. Actualmente existem cerca de 450 espécies. Podem ser aquáticas ou terrestres, bem como anfíbias. Caçadoras exímias, atacam rapidamente e devoram minhocas, insectos, batráquios, crustáceos e peixes. São atacadas por aves, tartarugas, cobras, peixes ou outros anfíbios. Por isso, costumam ficar escondidas em baixo de pedras ou plantas.
Algumas espécies são muito venenosas. Geralmente são as que têm cores fortes, que mantém os predadores afastados, como é o caso da salamandra de fogo, preta e amarela. O seu veneno queima a pele de pessoas e animais e pode até causar parilisia se entrar na corrente sanguínea. A sua pele pode produzir um alcalóide neurotóxico que provoca convulsões musculares fortes e hipertensão combinada com hiperventilação em todos os vertebrados. As glândulas de veneno da Salamandra de fogo estão concentradas em determinadas áreas do corpo, especialmente à volta da cabeça e na superfície da pele dorsal. As porções de cor da pele do animal, geralmente coincidem com estas glândulas.
Vivem solitárias e produzem uma substância com cheiro para atrair parceiros na época do acasalamento e outra que usam para marcar seu território. Em geral só emitem sons quando querem espantar algum predador.

Entre os vários Mitos acerca deste animal sobressai a sua resistência ao fogo. Inúmeros sábios e filósofos, à frente dos quais estão Aristóteles e Plínio, afirmaram aquele poder de salamandra. De acordo com eles, a salamandra não somente resistia ao fogo, mas conseguia apagá-lo e, quando via a chama, avançava contra ela, como um inimigo que sabia vencer à priori.
Na "Vida de Bevenuto Cellini", artista italiano do século XVI, escrita por ele mesmo, há o seguinte trecho: "Quando eu tinha cerca de cinco anos de idade, meu pai, estando num pequeno quarto, onde estava fogo e madeira de carvalho, olhou as chamas e viu um animalzinho semelhante a um lagarto, que podia viver na parte mais quente do elemento. Percebendo imediatamente do que se tratava, chamou-me e a minha irmã, e, depois de nos ter mostrado a criatura, deu-me um tabefe no ouvido. Caí, chorando, enquanto ele, consolando-me com carícias, disse estas palavras: "Meu querido filho, não te dei este tabefe por alguma coisa errada que tiveste feito, mas para que te lembres que a criaturinha que viste no fogo é uma salamandra, tal qual nenhuma outra foi vista por mim até hoje". Assim dizendo, beijou-me e deu-me algum dinheiro."
À custa desta noção foram chegaram a ser produzidos panos à prova de fogo, que se diziam feitos da pele de salamandra. Veio a constatar-se depois que a substância de que eram feitos era o amianto. Não por acaso se chamam de salamandras a determinado tipo de aquedor para as casas.
O fundamento da lenda acima relatadas parece provir afinal do facto da salamandra realmente segregar pelos poros do corpo um líquido leitoso, que, quando ela se irrita, é produzido em grande quantidade e que pode, sem dúvida, durante alguns momentos, protegê-la contra o fogo. Além disso, a salamandra é um animal hibernante, que, durante o inverno, se refugia em troncos de árvores ou em outra cavidade, e ali permanece em estado de torpor, até que a primavera a desperte de novo. É possível, portanto, que seja levada ao fogo junto com a lenha, onde está inclusa, e só desperte a tempo de recorrer às suas faculdades defensivas. O seu suco viscoso será, então, de todo valor e todos quantos têm assistido a esta situação admitem que ela trata de sair do fogo o mais depressa possível.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Gaivotas em terra...

Fim de tarde. "Avenida da Estação". Caldas da Rainha.


Arrival of birds - The Cinematic Orchestra



quarta-feira, 14 de novembro de 2012

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Please don´t kiss me

In the boat of Silence I´m floating guided by Fate.
As if I were approaching softly from the cove of your arms...
______

Please don't kiss me
But if you kiss me
Don't take your lips
Away

Please don't hold me

But if you hold me
Don't take your arms
Away

Comes a change in weather
Comes a change of heart
And who knows when the rain
Will start?

So I beg you

Please don't love me
But if you love me
Then don't take your lips, or your arms, or your love
Away


Please Don't Kiss Me - Rita Hayworth

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

The circle and the line


An ancient romance (between the circle and the line)
drawn from within

Love me do - Beatles

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Per te


Your love lifts my soul from the body to the sky
And you lift me up out of two worlds
I want your sun to reach my raindrops
So your heart can raise my soul upward like a cloud
(Rumi)

Per te - Josh Groban

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Autumn begins

Na Mata das Caldas da Rainha os raios rasantes do pôr-do-sol
no primeiro dia de Outono destes estranho ano de 2012.

Autumn in my heart - Tae Suk

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Do you believe in magic?

In the silence of my sunset
Suddenly
The shadow and the voice of a child
Surrounded me  
With a very special mood
 
I felt it like magic
Bringing Comfort

A message for sure

Solace - Lisa Gerrard