segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Written in the heart


Ashes and Snow - Feather to Fire

"The fate of all birds is to fall, but the phoenix is the only bird that transcends her own death... The fate of man is to fall, but some find a way to transcend their deaths. In this brief moment on earth, they succeeded in singing their song. The list of human birds of phoenix is long… There are millions of men and women who are also birds of phoenix, whose stories are unknown... but whether they are known or unknown, man or elephant, all phoenixes share the same dance:
Feather to Fire
Fire to Blood
Blood to Bone
Bone to Marrow
Marrow to Ashes
Ashes to Snow."
...
"...what matters is not what is written on the page...
... what matters is what is written in the heart..."
("Ashes and Snow: A Novel in Letters", by Gregory Colbert)

12 comentários:

cx disse...

A beleza e a profundidade deste Post vai direita á alma! Toca-nos daquela forma inexplicável como por vezes algumas excepcionais obras de arte nos tocam...e nos comovem! Estou sem palavras!
Simplesmente GENIAL!

Bjs, São

Anabela disse...

lindíssimo!

Rebeca disse...

Dos posts preferidos! :) Valeu a pena...

Bjs,
Rebeca

Maria, Simplesmente disse...

VT:
Toca-me muito...!
Boa semana
Maria

alice atras do espelho disse...

Provavelmente o melhor Post deste Blog. Os meus mutos parabéns por esta respiração que nos deixa com inspiração!

Bjs do outro lado

MM disse...

É preciso tempo e espaço para entrar aqui Vasco. É sempre muito cheio de beleza. Mas encanta-me a escolha criteriosa das músicas em sintonia com as imagens e o momento. Enquanto os ruídos do dia se espalham e se expandem, é bom escutar as tuas escolhas, aqui. Bj MM

Anónimo disse...

Lindo!Profundo!Tocante!
Emocionou-me.
Parabéns!
RP

Anónimo disse...

Coração Mais Forte que o Dever

“Nas alturas em que o meu dever e o meu coração estavam em contradição, o primeiro raramente saiu vitorioso, a menos que bastasse eu abster-me; então, na maioria das vezes, eu era forte, mas sempre me foi impossível agir contra o meu feitio.

Quer sejam os homens, o dever, ou mesmo a fatalidade quem comanda, sempre que o meu coração se cala, a minha vontade fica surda, e eu não sou capaz de obedecer. Vejo o mal que me ameaça e deixo-o chegar, em vez de agir para o evitar.
Começo por vezes com esforço, mas esse esforço cansa-me e depressa me esgota, e não sou capaz de continuar.
Em todas as coisas imagináveis, aquilo que não faço com prazer, logo se me torna impossível de levar a cabo.”

Jean-Jacques Rousseau, in 'Os Devaneios do Caminhante Solitário'

Post soberbo, escrito no, e pelo coração do Autor, qual “seta de Cupido” dirigida, de forma certeira, ao coração de quem aqui se detém, a contemplar a Arte que a Alma aqui expõe.
Parabéns !

FC

luisa - fotografia disse...

O sonho é ver as formas invisíveis
da distancia imprecisa,e com sensiveis movimentos da esperança e da vontade,
Buscar na linha fria do horizonte
a árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte...Os beijos merecidos da Verdade.F.Pessoa
Uma foto de grande beleza,parabéns.

bjo

luis disse...

Muito bonito e hormonioso, de facto. Transmite uma serenidade tal, que nos faz até esquecer o pensamento primário de que aquelas penas poderão ser o indício restante de um qualquer encontro entre uma gaivota e o Sá Pinto!
Parabéns.
Luís Cunha

Anónimo disse...

Mais uma vez o teu talento é inesgotável, breathtaking. Bjs
Lee

VT disse...

Perfeitamente "submergido" em comentários tão bonitos e agradáveis também fiquei sem palavras.
Bem hajam
VT