sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Magnolia´s secret

 
Magnolia – JJ Cale

Whippoorwill's singing
Soft summer breeze
Makes me think of my baby
I left down in New Orleans
I left down in New Orleans
Magnolia, you sweet thing
You're driving me mad
Got to get back to you, babe
You're the best I ever had
You're the best I ever had
You whisper "Good morning"
So gently in my ear
I'm coming home to you, babe
I'll soon be there
I'll soon be there

10 comentários:

Ñoco Le Bolo disse...


Preciosa interpretación en blanco y negro, bien acompañada por el fantástico JJ Cale.

Saludos

CR LMA
________________________________

Tina disse...

Uma flor delicada e uma linda foto que nitidamente revela o seu exotismo. A escolha desta belíssima música de JJ Cale é o climax de uma partilha muito bem conseguida.
Obrigada, Vasco!

Anónimo disse...

A MAGNÓLIA

A exaltação do mínimo,
e o magnífico relâmpago
do acontecimento mestre
restituem-me a forma
o meu resplendor.

Um diminuto berço me recolhe
onde a palavra se elide
na matéria - na metáfora -
necessária, e leve, a cada um
onde se ecoa e resvala.

A magnólia,
o som que se desenvolve nela
quando pronunciada,
é um exaltado aroma
perdido na tempestade,

um mínimo ente magnífico
desfolhando relâmpagos
sobre mim.

Luísa Neto Jorge

O “Perfume” da Magnólia Muito Bem captado neste post, ”embrulhado” em Doce Música. Parabéns !

FC

Magnolia disse...

E é lindissima esta sua magnólia....

Maria disse...

VT:
Se há flores que me dizem muito... a "Magnólia" deve ser a flor que me diz mais.
Na minha frente tenho um quadro pintado por alguém que foi tudo para mim, VT, e que me faz, no tempo das "Magnólias" em flor, procurá-las e fotografá-las.
Esta sua, quando a olhei, foi como se fosse "o espirito" da "Magnólia.
Muito bonita VT.
Maria

Anónimo disse...

"Doce Fortaleza"!!!
Flor muito antiga, senão a mais antiga á superficie da Terra. Delicada na sua expressão, doce no seu perfume mas de grande resistência, florindo na estação fria ( Inverno ), quando toda a Natureza parece adormecida.........
Talvez seja o pré-anuncio da Primavera....Tem um comportamento muito especial face á "Luz" Natural, abrindo-se perante esta e recolhendo-se ao entardecer, dando-nos um espectáculo unico e digno de ser observado minuciosamente.

Foto particularmente interessante, pela forma como aborda/apresenta esta Beleza Natural, captando e mostrando toda a sensualidade, de um corpo com Vida própria, completo.
A Natureza é Sábia e conjuga muito (se não tudo) do que o Ser Humano pode desejar ( Luz, Sensualidade, Erotismo, Doçura, Firmeza.., etc).
Gosto especialmente da Magnolia de tons rosa/purpura...

Quanto ao acompanhamento musical, uma Delicia, perfeitamente "ajustado", ajudando ao refinamento dos sentidos, das sensações de prazer, naturalmente.
Sentir e fazer sentir, tambem é Arte.....
Abraço
AC

VT disse...

Gracias Ñoco pot tu interpretation; Um abraço Ernestina pela palavras certas e pela simpatia; Um abraço também para FC que nos brinda com um excelente poema acompanhado pela generosidade das suas palavras; Obrigado Magnólia por ter apreciado também esta Magnólia; Agradeço ainda as palavras e o espírito que Maria descobriu. Agradeço ainda a AC toda a interessante informação contida no seu comentário e ter apontado um aspecto essencial. De facto esta foto também tem uma sensualidade intrínseca na forma - que o enquadramento acaba propositadamente por exaltar.
Bem hajam
VT

aprendiz disse...

com su permiso....

Sabes, leitor, que estamos ambos na mesma página
E aproveito o facto de teres chegado agora
Para te explicar como vejo o crescer de uma magnólia.
A magnólia cresce na terra que pisas — podes pensar
Que te digo alguma coisa não necessária, mas podia ter-te dito, acredita,
Que a magnólia te cresce como um livro entre as mãos. Ou melhor,
Que a magnólia — e essa é a verdade — cresce sempre
Apesar de nós.
Esta raiz para a palavra que ela lançou no poema
Pode bem significar que no ramo que ficar desse lado
A flor que se abrir é já um pouco de ti. E a flor que te estendo,
Mesmo que a recuses
Nunca a poderei conhecer, nem jamais, por muito que a ame,
A colherei.

A magnólia estende contra a minha escrita a tua sombra
E eu toco na sombra da magnólia como se pegasse na tua mão

Daniel Faria

VT disse...

Obrigado Daniel Faria pela partilha da poesia que escreveu no seu próprio blogue acerca do mesmo tema.
Bem haja
VT

aprendiz disse...

lamento o equívoco, Daniel Faria foi um poeta que morreu muito jovem... "tropeçei" nas suas palavras por acaso há algum tempo e gosto muito daí o ter publicado no blog...

um abraço
Tereza