sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Sorrow

As ondas de calor estão para continuar. Como todos os anos nesta altura arde mais um pedaço do país e de nós. Desde há quase uma década que se repete o clamor pedindo medidas preventivas e urgentes para evitar tantos incêndios. É certo que houve algum investimento em equipamento de combate às chamas. Mas sobre prevenção ouve-se apenas o eco das palavras. Morrem bombeiros e a esperança num país a caminho da desertificação. A tristeza mistura-se com o desejo de homenagem a todos os que lutam arduamente para apagar os incêndios. Há que evitar tudo isto com a criação de acessos a zonas mais cerradas, com limpeza sistemática do mato nas áreas verdes e não permitindo que incendiários intencionais voltem a ter nova oportunidade de atear as chamas. Junto os meus braços a todos os outros que se agitam pedindo a execução urgente de um Plano Nacional de prevenção contra os incêndios florestais. Ou seja queremos ACTOS para que no próximo ano não estejamos a voltar a ver o mesmo filme e a ouvir as mesmas palavras. Basta de ouvirmos os mesmos actores (responsáveis, jornalistas, população) repetirem as mesmas deixas como se fossem representar pela 1ª vez uma peça que já vai em cena todos os Verões desde há cerca de 10 anos!
-

Symphony of Sorrowful Songs - Henryk Górecki - 1st movement 

6 comentários:

Paulo Duarte disse...

Espectacular Conceptual e performativo trabalho.
Não é necessário mais palavras.
Parabéns e continuação de bons momentos de inspiração.
Espero que no futuro o alertar para o que nos rodeia daquilo que não estimamos, esteja ultrapassado.

Tina disse...

Uma chamada de atenção que mexe profundamente com todos nós, já que sentimos o mesmo quando ouvimos as noticias. É inconcebível como os sucessivos responsáveis governamentais têm a cara de pau de todos os anos repetirem a mesma ladainha. Estamos preparados como para enfrentar os incêndios, se todos os anos o espectro do fogo é cada vez pior? Passeando pelo país, fico feliz quando vejo que a floresta tende a reflorescer, de forma espontânea. Mas não é suficiente, quando a reflorestação é feita a um ritmo tão lento!

A foto ilustra bem a ideia do caos que rege o país. E o primeiro movimento desta belíssima e inspiradora sinfonia leva-nos a interiorizar fortemente o horror que se vive neste momento neste país, no que aos incêndios respeita.

Não conhecia devidamente a peça, pelo que fui explorar no Youtube e, com a devida vénia, deixo aqui o registo elucidativo:

"Typically 27 minutes in duration, the first movement equals the combined length of the second and third movements,[9] and is based on a late-15th century lament of Mary from the Lysagora Songs collection of the Holy Cross Monastery in the Świętokrzyskie Mountains."

Agradecida por esta bela partilha, Vasco!

Lídia Borges disse...

É triste este país de tristes!

As notícias são feridas a arder, todos os dias. Mete dó!

L.B.

Anónimo disse...

Estranha Foto!!! Fere-me!!!
Talvez o amontuado de tijolos, talvez a aridez do espaço, talvez o vazio humano, talvez a ausencia de vida...., talvez uma estranha e intensa luz...(sinto que é intencional).

Ao primeiro contacto a minha pergunta foi!! MAS O QUE É ISTO???
Pois...que não se percebe muito bem........, talvez uma espécie de "coma induzido", onde nada parece responder, apenas um "estar" aparentemente vivo....

Não vou entrar em lamentações, não gosto de o fazer e sinto que não é resposta. De facto é preciso AGIR........, num País em que o CRIME continua a compensar,.. a frase "selvagens", já não se aplica, (animais irracionais e selva, nunca provocaram semelhante distruição).

INQUALIFICAVEL e DESOLADOR, pensar e sentir o sofimento de quem morre queimado (fauna/floresta/humanos)......., tudo isto terá as suas consequencias, naturalmente (digo eu, ou não!!!)

Alguem terá que "desligar" a "maquina",....dou a minha autorização....
Quanto á musica que acompanha o post, sinto-a perfeitamente adequada á situação...(um Velório, mas de quê e de quem...!!!!
Abraço
AC

Lucia disse...

Esse clamor não é privilégio de Portugal. O mundo está a clamar! Queimadas por toda parte!
Medidas mais amplas de preservação do ambiente, menos descaso, menos imediatismo, menos ganância, mais investimentos em prevenção desses assassinatos da natureza.
A música traduz esse choro de todos nós.

VT disse...

O meu reconhecimento para o Paulo, a Tina, Lídia, AC e Lúcia pelas palavras certas e olhar atento a uma Terra em plena mudança climatérica - que o Homem parece não conseguir acompanhar (sobreviver???).
Bem hajam
VT