quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Sobre a Arte do Retrato em Fotografia II

Ahmed - Retrato de rua.

Esta foto e a anterior foram captadas na mesma sequência. No entanto revelam expressões e estados de alma diferentes. Em ambas optei por “headshots” para melhor transcrever as emoções que emanam da mímica facial.
Como faço quase sempre, nos retratos de rua, identifiquei-me e pedi autorização para fotografar (1). Após uma breve troca de impressões, em pleno Mercado, e durante o evoluir da sessão o Ahmed foi ficando mais descontraído. Como se sabe, quando as pessoas estão mais à vontade deixam escapar com mais facilidade traços essenciais da sua personalidade. Sabemos que conversar primeiro e não ter pressa é um passo muito importante. A empatia e a confiança do fotografado podem proporcionar uma diferente expressividade.
É o desafio de compreender de mais perto os outros que me tem motivado cada vez mais a desenvolver a fotografia de retrato de rua. São momentos em que o destino, a autenticidade e as escolhas acabam por convergir e transcender o tempo.
Assim foi com Ahmed.

(1) Se o retrato for colhido subitamente e sem conhecimento prévio do fotografado dirijo-me posteriormente à pessoa e mostro-lhe o retrato explicando que só o publicarei com o seu consentimento. 

Sem comentários: