segunda-feira, 15 de março de 2010

Long as I can see The Light

Long As I Can See The Light - Creedence Clearwater Revival

5 comentários:

Submarino Amarelo disse...

"Put a candle in the window,
'Cause I feel I've got to move.
Though I'm going, going,
I'll be coming home soon.
Long as I can see the light..."

Entre 1968 e 1973 os CCR lançaram oito álbums magníficos, cheios das melhores pérolas que o Rock produziu, quase todas da autoria de John Fogerty.

Este "Long as I can see the light" encerra Cosmo's Factory (1970) um LP tumultuoso, uma mistura de originais e versões enérgicas.E encerra da melhor maneira, depois de uma versão claustrofóbica e quase velvetiana de "I Heard It Through the Grapevine". É uma canção de embalar, distendida e repousada, que exprime a satisfação do regresso a casa.

Num momento em que o Rock se fundia com o Jazz, a música erudita, as melodias orientais e o experimentalismo radical, os Creedence Clearwater Revival mostraram que "simple is beautiful". E quanto mais simples, mais liberto dos condicionalismos do tempo e da moda: eterno, portanto.

Imagem bem ilustrativa e a propósito, como sempre. Abraço.

Anónimo disse...

Quanto á musica dos CCR o mais importante já foi dito, é eterna e foi com prazer que a re-vivi, trazendo á lembrança os bons momentos, passados,..., como sempre em perfeita harmonia com o post que de emediato me encaminhou (pela incidencia da luz, captada) para mais um despertar dos sentidos. Na foto, para além de toda a beleza no seu conjunto, destaca-se, penso que intensionalmente, uma planta de jardim de nome "Datura", cuja flor em forma de cálice invertido, é de uma fragãncia intensa, libertada ao inicio de um entardecer e permacendo no ar, durante grande parte da noite. Um "perfume", natural, inconfundivel, sedutor, que facilmente nos convida ao relaxamento/conforto, a uma sensação de prazer intrinseco. Quem a possui, possui uma especie de Boas Vindas, naturalmente agradavel, quando regressa a casa. Mais um dos presentes da Natureza, com um "Poème"...
(Naturalmente esta flor é essencia de alguns perfumes bem conhecidos...)
Captar e conjugar tudo isto, só mesmo "Alguem" com forte sensibilidade e competencia artistica.
O meu sincero agradecimento.
AC

Mª Angeles y Jose disse...

Magnifica fotografia, parece tomada en un bosque magico.

Besos

A Luz A Sombra disse...

VT:
Muito boa!
Não sei o nome destas flores, mas o aroma etontece-nos.
Onde moro, quando elas estão em flor, o ar fica perfumado, por vezes quase nos adormece.
Dizem que são tóxicas, não sei se é verdade.
As músicas que acompanham as suas fotos são sempre uma maravilha.
A continuação de boa semana
A Luz A Sombra

VT disse...

Trata-se da Datura Arborea que tem um aroma intenso perfumado (doce) que dizem entontecer as pessoas. Em contraluz as flores com feitio de candeeeiro arte nova parecem ter a lâmpada acesa. A origem do nome vem do hindu "dhát", um veneno preparado com plantas, e "tatorah", entorpecente. Plantas desse gênero e de alguns outros gêneros de Solanáceas apresentam compostos com propriedades alucinógenas, o que é conhecido desde tempos imemoriais. Povos primitivos, tanto da Eurásia como do Novo Mundo, fizeram intenso uso dessas propriedades em rituais místicos e religiosos, bem como para fins medicinais; outros usos tinham intuito criminoso, visando entorpecer as vítimas para as roubar ou matar. Os efeitos alucinógenos incluem visões e sensações que eram tidas como formas de comunicação com os deuses. Curandeiros e adivinhos buscavam inspiração nessas visões. Ritos de iniciação, bem como de passagem de condições de crianças para adultos, envolviam o uso de preparados dessas plantas. Na região de Bogotá as viúvas e os escravos dos guerreiros mortos recebiam uma bebida com extratos dessas plantas, que as colocava em estado de torpor, de modo a serem enterrados vivos com os seus senhores. Ao lado do efeito alucinógeno, existe um forte efeito tóxico, e uma "viagem" com Solanáceas frequentemente não tem retorno. São tratadas no âmbito da indústria farmacêutica, e os remédios à base destas substâncias só podem ser prescritos por um médico. É uma planta tóxica para os animais e para o homem. Os envenenamentos de crianças pelas sementes de estramônio são relativamente freqüentes, sendo a dose letal, aproximadamente, 20 sementes.
Bem hajam
VT