segunda-feira, 25 de outubro de 2010

O Braço do Bom Sucesso

Vista do Braço do Bom Sucesso em direcção ao seu terminus a oeste
.
Covão dos Musaranhos, onde encontramos o extremo Sudoeste do Braço do Bom Sucesso
e eventualmente uma óptima refeição confeccionada com o peixe apanhado no dia. .
Partida de bateira para a habitual faina piscatória
com perspectiva para a junção do Braço do Bom Sucesso com a restante lagoa
.

Prelude 13 - Ketil Bjornstad

Na sequência da publicação (27 e 29 de Setembro) dos “posts” sobre o Braço da Barrosa, da Lagoa de Óbidos, mostramos hoje algumas imagens do Braço do Bom Sucesso – que prolonga a lagoa no sentido sudoeste (onde termina com a zona denominada de “Covão dos Musaranhos”). É palco de actividades dos pescadores residentes e o rendimento bruto global, proveniente da pesca e da apanha de bivalves está estimado como sendo superior a meio milhão de contos por ano, sendo evidente a dependência económica das populações dos recursos directamente provenientes da Lagoa, especialmente no Concelho de Óbidos. É o braço mais comprido e largo, da lagoa, onde existe o tempo de residência máximo da água - que pode atingir as 4 semanas. Em consequência a água tem características lacunares mais típicas. Nele residem os locais mais profundos (até cerca de 6m) da lagoa. Com as margens ornamentadas por sapal (predominante) e algum caniçal, também tem tendência a ficar isolada da restante lagoa – embora o risco não seja tão elevado quanto o Braço da Barrosa – dado que a Lagoa de Óbidos é um ambiente com tendência natural para o assoreamento, com maior transporte de sedimento do mar e rios para a lagoa, que desta para o mar. Será urgente uma nova forma de gestão sustentável para este espaço, concertada entre a Câmara das Caldas e a de Óbidos, que permita salvaguardar as espécies que o integram e, reintroduzir algumas (ex. lontra) desaparecidas nos últimos anos, mantendo aspectos culturais, económicos e sociais que fazem desta lagoa não só um espaço natural a preservar, mas também um local com actividade turística de qualidade e com a pesca controlada. Se não forem tomadas medidas de conservação consistentes, esta Lagoa tenderá a degradar-se cada vez mais até um ponto em que talvez já não seja possível voltar a contemplarmos os irresistíveis fins de tarde perante esta paisagem privilegiada.

8 comentários:

teca disse...

Li tudo... então fiquei observando a primeira cena e ouvindo a música... e então parei....................... ..........................................................................
Ah... viajei...

Beijos.

Maria. N. P. A. disse...

Po todo o lado há tendência ao açoreamento de lugares dantes profundos, onde as águas eram renovadas e as espécies preservadas.
Agora o lixo além de tornar esses lugares inabitáveis para essas espécies pela água poluída que baste, transforma a água em veneno.
Assim vamos perdendo riquezas naturais sem fiscalização, e muitas vezes sbendo quem são os culpados.
Como sempre lindas as suas fotografias, que aliadas à música tornam este lugar uma delícia.
Boa semana VT
Maria

Anónimo disse...

O Bom Sucesso é tudo isso e não só.
É um pouco a narração de Miguel Torga in "Cantico do Homem" no poema Tempo.É sentir a grandeza da Mãe Natureza. É sentir o murmurar da água nos nossos pés. É sentir um fim de tarde, com o Sol a fugir a medo, sem sabermos se volta amanhã. É caminhar pelos pinhais até ao Marcolino e beber um café ( afastando as aborrecidas moscas). É comprar o jornal no Helder ( mini mercado numa cave que a ASAE desconhece.É sentir...sentir...sentir.
Sou uma felizarda, tendo lá casa poder usufruí-la.
L.B.

Tina disse...

Três belíssimas imagens da mesma lagoa, três lindas roupagens mágicas. Se os aspectos culturais, económicos e sociais são importantes, é um privilégio e uma sorte poder desfrutar desta tranquilíssima paisagem. Ao som deste Prelúdio, é mais um momento mágico que nos brindas. Obrigada!

Anónimo disse...

Praia do Bom Sucesso, conheci bem!
Talvez a nitidez das imagens /momentos, talvez a musicalidade envolvente, talvez a imaginação, talvez a saudade...,talvez, talvez,.....
(...), acabei por sentar aqui, muito proximo de uma destas margens e aí me deixar por momentos..., sentindo o des-pedir do sol, os cheiros de fim de tarde, o sereno que começa por se fazer sentir no corpo, acompanhada dos sons "leves" das pequeninas ondas que se formam e embatem suavemente nas bordas do meu "lugar", repetindo-se espaçadamente em "glôc-glôc"..., passaros recomeçam suas rotinas de recolher e de vez enquando sinalisam a chamada dos seus aos seus ninhos.....É fantastico observar a natureza e a forma como funciona e se organiza. É fantastico poder sonhar e viajar a-partir dela e "embarcar"....(talvez... a minha forma de estar, resiliência!..., quem sabe!?).
Obrigada por esta delicia...
Abraço
AC

VT disse...

Obrigado Teca por ter parado por aqui e ter feito essa viajem musical.
Obrigado Maria pelas observações, simpatia e pelo incentivo relativo às minhas fotos.
Obrigado LB por descrever também o lado típico e gostoso do Bom Sucesso para além dos pequenos nadas que fazem tudo num dia dia previlegiado - sobretudo para quem tem a sorte de lá morar.
Obrigado Tina pela companhia da sensibilidade e das palavras generosas relativas ao meu trabalho fotográfico (nem imaginam... mas quem corre por gosto...).
Obrigado AC pela poesia "dançante" e sempre plena de sentido e dos sentidos à flor da pele.
Bem hajam
VT

Nuno Botelho disse...

excelente conjunto de fotos.

VT disse...

Obrigado Nuno pelas palavras simpáticas.
Bem hajas
VT