sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

A Oriente da Lagoa

Em frente da Aldeia dos Pescadores com a Foz do Arelho na margem oposta
. Grupo de Pescadores residentes na margem da Lagoa em frente a armazém de material de Pesca. O fumeiro à porta é para afugentar os mosquitos.

Comunicação entre o Braço e a Poça das Ferrarias (entre a ponta Espichel e o Braço do Bom Sucesso). 

Adagio for Strings, op.11 - Samuel Barber
 

Se percorrermos a margem sul da Lagoa de Óbidos com início em frente à Aldeia dos Pescadores podemos apreciar, a partir de um local tranquilo, um outro mais confuso na margem oposta: o amontoado de construções, encavalitadas umas nas outras, na Foz do Arelho. Ao longo do caminho pedestre agora disponível contornamos esta margem – praticamente à beira de água. Vamos observando muita poluição de objectos não recicláveis, sobretudo de plástico, deixados na areia ou que a maré vai trazendo. De vez em quando surgem as típicas casas de cana feitas para abrigo e armazém dos pescadores que vivem da e na Lagoa. Por entre os arbustos da margem passam rápidas as velas dos barcos da escola de vela atravessando a Lagoa. Temos algumas dúvidas se um percurso mesmo junto da água, a poluição e o movimento dos barcos não afastarão a fauna da Lagoa para locais mais recônditos. Finalmente chegamos ao pequeno braço e poça das Ferrarias, entre a ponta Espichel e o inicio do Braço do Bom Sucesso – sobre o qual já publicámos um “post” anterior (ver em etiquetas). De pequenas dimensões, e alvo das atenções dos pescadores, é atravessado por uma ponte estreita. Estava previsto há algum tempo atrás um empreendimento turístico, com campos de golfe, a sul da Poça das Ferrarias e que não estudava qualquer forma de minimização de impactos nem beneficiava de um estudo de impacto ambiental prévio. Esperemos que se corrija a tempo mais um prejuízo para a Lagoa – no caso de persistir o projecto. Senão iremos assistir a mais um passo para a extinção de um Paraíso.

6 comentários:

J J disse...

É bom ver que este espaço, que seria sempre um dos melhores arquivos de magníficas imagens da "nossa" Foz do Arelho, tem sido, além disso, um espaço de denúncia e chamada de atenção sobre as diversas ameaças que pairam sobre a sua Praia e a Lagoa de Óbidos.
O mesmo tem acontecido com o Termalismo, o Parque, a Mata e todo o Património Caldense.
É bom ver tudo isto... talvez por ser "adoptado", o Vasco envergonha, com a sua militância e amor a esta terra, a maioria dos seus naturais que não a defendem tão empenhadamente.
Obrigado, Vasco.
Um abraço.
JJ

Tina disse...

Quando li algures que Augusto Mateus, um dos responsáveis pelo Plano Estratégico da região, afirmou que "O Oeste deve estar para o País como Vilamoura está para o Algarve", senti um arrepio. Inconcebível a invasão deste local, que deveria ser protegido pelas suas características especiais, por projectos turísticos de grande dimensão que irão alterar inevitavelmente o ecossistema sui generis da Lagoa de Óbidos.
Apoio incondicionalmente o JJ ao reconhecer-te o empenho na defesa desta belíssima região, que conheço um pouco melhor através das tuas magníficas fotografias, eu que sou uma "estrangeira" que foi conquistada pelo pouco que viu in loco.

Enquanto ouço o Adágio para Cordas em crescente intensidade, vou admirando cada uma das imagens que aqui postaste, com a singularidade da escolha dos tons de cada uma para acentuar em cores quentes a beleza da zona junto à aldeia dos pescadores, em sépia a antiga actividade piscatória e a originalidade das típicas casas de cana e, a preto e branco, o prazer de desfrutar a Lagoa em todo o seu esplendor.

Obrigada, Vasco!

A Luz A Sombra disse...

Sempre que cá venho encontro fotografias de "cortar a respiração"!
Ou essa terra é mágica... ou os olhos do fotógrafo a observam com "olhos de ver", pois pesquizando não encontro nada que se compare ás suas fotografias.
Parabéns.
A Luz A Sombra

teca disse...

O seu blog me "perturba", me emociona e é de uma beleza que surpreende e transforma a alma... venho aqui, ouço boa música, vejo lindas imagens e leio relatos impressionantes... fico comovida, às vezes me pego chorando... de emoção.

FELIZ NATAL! FELIZ 2011!
Um beijo carinhoso.

Jose bulnes disse...

Hermosas fotografias amigo, me he hecho seguidor de tu blog y agradeceria que te hicieras seguidor del mio.

http://bulneswaves.blogspot.com/

Saludos.

VT disse...

Obrigado JJ. È um privilégio e uma honra sentir-me "adoptado" por C. Rainha. De facto o contrário nunca seria válido. Nunca me pareceu adequado as pessoas referirem que são filhos adoptivos desta ou daquela terra. Tal como em Medicina só é Mestre quem é reconhecido como tal pelos outros e nuca quem se autoproclama. Abraço.
Obrigado Tina pela tuas generosas palavras e cumplicidade para com uma atitude que gostaria viesse a ter cada vez mais defensores - do nosso ecosistema.
Obrigado A Luz A Sombra. De facto a terra é mágica (embora muitos habitantes e o Poder Cental ainda não tenham reparado com a merecida atenção). Os registos são da responsabilidade da minha máquina fotográfica. Eu faço de intermediário.
Obrigado Teca por nos transmitir suas emoções partilhando carinho e incentivo.
Gracias Jose. Ya está. Hecho.
Bem hajam
VT