quarta-feira, 2 de junho de 2010

In the sand

Há dias excepcionais em que uma praia branca se estende pelo meu quarto
Por vezes encontro sinais que os deuses deixaram semi-enterrados na areia
Então abraça-me, por dentro, a música mais sublime

Mahler – Symphony No.5 Adagietto – Bruno Walter (1938)

8 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Estou eu aqui agradecendo a visita, a presença na Casa da Imaginação. São presenças importantes. O mundo não é tão grande quando começamos a encontrar aquelas pessoas que têm algo a nos mostrar, a dizer, enfim, que nos acrescenta algo novo e que faz a diferença.

Obrigada,
Ando sempre por aqui. Os olhos chegam, mesmo quando as palavras não vêm.
Abraços,
Tânia

Eliana Mora [El] disse...

O que conterão as areias se fazem nascer música tão bela?

lindo, lindo.
[beijo]

Magnolia disse...

Um prazer imenso passar por aqiu... Bj

Albert Lázaro-Tinaut disse...

Un blog muy interesante, con fotografías curiosas y bellas. Os meus parabens!
Saludos desde Barcelona.

SimoesPereira disse...

OBRIGADO!!
Pelos mometos de prazer, que me proporcionou.É de facto um Blog de extremo bom gosto, e de elevada qualidade. Descobri esta "MARAVILHA",ATRAVÉZ DA REVISTA DE QUE GOSTAMOS "LER".

crisia disse...

uma obra de arte leva a outra e a o sentido e beleza da imagem/paisagem/mensagem conduz à um momento de poesia:

" O cardo floresce na claridade do dia. Na doçura do dia se abre o figo, Eis o país do exterior onde cada coisa é:
trazida à luz/ trazida à liberdade da luz/ trazida ao espant da luz"
Sophia, Geografia

abraço amigo, cristina

Anónimo disse...

De facto....!!!
Sublime Solidão....!!!
Sentimentos de Paz (interior), Ternura Pura e Profunda Tranquilidade, foi o que senti aqui nestes "breves" minutos....; solidão esse "espaço", "só", que é (e será sempre) necessário para nos sentirmos e reflectirmos sobre o que sentimos (ou não), um "retiro".

Não querendo alongar o comentário, não consigo deixar de fora um "considerando" sobre a arte (musical). É em geral, uma SUBLIMAÇÃO; um dos mais importantes (se não o + importante) mecanismo(s) do "inconsciente" (defesa), que transforma os "impulsos" mais "primitivos" (+ interiorres), em sentimentos mais Puros, Divinos, Elevados,(...), socialmente bem mais aceitaveis...., onde o Amor será o sentimento mais Sublime de todos os sentimentos (Arte=Amor=Arte)....
Ainda bem que assim é......

Conhecia este "adagietto" na versão de Karajan, que tambem admiro, ( o som da arpa é fundamental).
Parabens pela "Excelência" do instante.
Abraço
AC

VT disse...

As palavras da Tânia e da Eliana têm a música e a poesia a vibrarem entre as linhas. A Magnólia e a Crisia deixaram o perfume da sua sensibilidade. E há a simpatia e análise nos comentários de AC e de Simões Pereira (a quem dou as melhores boas vindas e esperando contar, no futuro, com mais comentários seus). De facto a revista "LER" teve a amabilidade de, no seu número de Junho (à venda desde dia 2), publicar uma foto retirada do Heavenly (nosso post de 30-11-2009) referenciando e recomendando este blogue em: http://ler.blogs.sapo.pt/. Muito reconfortante.
Bem hajam
VT