quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Sob as árvores


Sob estas árvores ou aquelas árvores
(Fernando Pessoa / Ricardo Reis)

Sob estas árvores ou aquelas árvores
Conduzi a dança,
Conduzi a dança, ninfas singelas
Até ao amplo gozo
Que tomais da vida.
Conduzi a dança
E sede quase humanas
Com o vosso gozo derramado em ritmos
Em ritmos solenes
Que a nossa alegria torna maliciosos
Para nossa triste Vida que não sabe sob as mesmas árvores
Conduzir a dança...


Baraka Bansuri – Michael Stearns

7 comentários:

Anónimo disse...

"sob estas árvores ou aquelas árvores"... mas sempre a sua Sensibilidade.
Émê

João Ramos Franco disse...

"Para nossa triste
Vida que não sabe sob as mesmas árvores
Conduzir a dança..."
Algumas vezes não só, mas também...
Um Abraço
João Ramos Franco

Anónimo disse...

Mais um post no seu melhor...

Para ser grande,sê inteiro:nada
Teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa.Põe quanto és
No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda
Brilha,porque alta vive.

"Põe quanto és no mínimo que fazes"
Odes/ Ricardo Reis

RP

Anónimo disse...

Serena coformidade entre o Poema,a Natureza- a luz e a sombra- e a Música.
MV

Anónimo disse...

Cada árvore é um ser para ser em nós

Para ver uma árvore não basta vê-la
a árvore é uma lenta reverência... Ler mais
uma presença reminiscente
uma habitação perdida
e encontrada.
À sombra de uma árvore
o tempo já não é o tempo
mas a magia de um instante que começa sem fim
a árvore apazigua-nos com a sua atmosfera de folhas
e de sombras interiores
nós habitamos a árvore com a nossa respiração
com a da árvore
com a árvore nós partilhamos o mundo com os deuses.

António Ramos Rosa

FC

Isabel disse...

Parabéns. Também gosto muito de Ricardo Reis e das suas odes. Penso que José Saramago também é grande apreciador deste heterónimo que fez belos poemas dedicados a Lídia...
Isabel Gouveia

VT disse...

Agradeço as palavras/contributos encorajadores de todos os que me "dão a mão" ao viverem comigo diariamente este Blog.
Bem hajam pela Vossa sensibilidade e apoio.
VT