quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Evening land

Evening Land - Jan Garbarek & Mari Boine Persen

7 comentários:

Anónimo disse...

O meu olhar

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de, vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...
Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender ...
O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...
Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar ...
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar...

Alberto Caeiro

FC

Magnolia disse...

Descubro aqui tanta musica...e tantos olhares....
Bj

luisa - fotografia disse...

Os contrastes de cores são fortes, e o azul do mar parece se derramar sobre a terra sedenta.bjo

Anónimo disse...

Que belíssimo apelo aos sentidos, este quebra-luz do entardecer nos proporciona.
Sabrina

Anónimo disse...

Chorões sob a lânguida luz do entardecer,ou sob o "luar" do Sol da Meia Noite...
Muito feliz associação entre a fotografia e o tema musical,inspiraram a minha observação.
Muitos parabéns pela originalidade "Sami".
MV

Kotta1947 disse...

A natureza brindanos com estas cores que não conseguimos descrever de tão bem conjugadas. Esta foto é linda mesmo. Bjo.

VT disse...

Fico muito feliz em ter conseguido despertar o que levou em cada a fazer comentários tão bonitos.
Nesta foto de facto prima o contraste das cores afogueadas do fim de tarde dos chorões - que resistiram - sobre a terra de cor cinza em redor.
Bem hajam
VT