sexta-feira, 16 de abril de 2010

New point of view


Lontano - Tomasz Stanko quartet 

10 comentários:

Gastão de Brito e Silva disse...

Gosto muito do sentido estético e do sentido musical que este blogue teima em manter...

Excelentes trabalhos fotográficos e um critério musical que se coaduna com cada imagem...

Mantenha esta luz acesa...

Submarino Amarelo disse...

Lontano o vicino?
Depende sempre do ponto de vista, claro ....

LUZ disse...

diria até que conheço a areia da foz ... foto muito boa acompanhada duma calma musica.
Saudades dessas aguas ...

Abraço

Anónimo disse...

Excelentes fotos as dos dois últimos posts, sugerindo a imagem de duas telas abstractas...
Quase podemos vislumbar um díptico, invertendo uma das “telas”, se as imaginarmos lado a lado, embelezando uma parede de um qualquer espaço...
“Um tipo de Azul” fantástico no post anterior, contrastando com o tom de areia; o mesmo Azul neste post, agora com “um novo ponto de vista, destacado a vermelho pela bola, habilmente centrada na imagem.
A mesma “visão fotográfica”, constante habitualmente em Heavenly, com acuidade na “leitura”...
A distinção ímpar do detalhe, do todo, permite muitas vezes ao mero objecto que aparentemente poderia aos nossos olhos não ter a “menor graça”, passar a ter Vida própria !
Esta subjectividade é um “prazer estético”, ou seja, a sobrevivência de uma Imagem está intimamente ligada à Genealidade do seu Autor.
Genial, portanto !

Parabéns!

FC

Anónimo disse...

Simplicidade!
O "ponto" de côr vermelha atrai de imediato a nossa atençaão e não é por acaso que esta côr está presente em grande parte dos anuncios publicitários que reclamam o sucesso. Subliminarmente ela atrai e concentra a nossa atenção e todos os nossos sentidos. Ao "vê-la", facilmente entramos em associação livre e relacionamos ( Vermelho com Sangue; Sangue com Vida; Vida com Estimulo; Estimulo com Pulsar; Pulsar com Emoções,..., etc, etc ).
Centrada na parte superior da fotografia, parece querer "tocar" a Agua.......depois de caminhar....
Em conclusão, cada elemento interage numa dinâmica quase imperceptivel para os "comuns".
A Terra, (Firmeza/Segurança); A Agua, (Profundidade/ mistério) e A Sensibilidade, num movimento de constante adaptação (agua e areia ocupam os espaços dos moldes..., lembrando as brincadeiras de praia ) e como que de Renovação.
Como ficaria tudo isto caso acontecesse uma onda do Mar?
A musica em perfeita comunhão com o Post, ajuda a sentir todo o espaço..., num "novo ponto de vista"
Agradeço o "momento" e a partilha.
Abraço
AC

VT disse...

Agradeço as palavras estimulantes de todos e as análises à imagem feitas por FC e AC. Foi mesmo quase pensado como diptíco, logo após a foto do post anterior, invertendo a areia e o mar mas mantendo a linha divisória horizontal no mesmo nível (com a variante marcante, como refere AC, do vermelho). Tem razão tb FC porque ambas foram feitas para terem um efeito quase "abstractizante" que se integra no ambiente estético que procuro conferir ao blogue.
Chamo ainda a Vossa atenção para o excelente blogue do Gastão a merecer sempre uma visita dada a grande coerência e interesse do projecto. Quer temática quer no modo de processamento de imagens de grande qualidade técnica e estética.
Um grande abraço ainda ao Submarino e à Luz.
Bem hajam
VT

Maria, Simplesmente disse...

Um belo ponto de vista!... Parabéns.
Maria

VT disse...

Obrigado Maria pelas palavras simpáticas.
Bem haja.
VT

António disse...

Quando olhei para esta foto lembrei-me imediatamente dum grande pintor chamado Eduardo Luis. É o pintor atrás da máquina fotográfica, que encontro em muitas fotografias!

VT disse...

Obrigado António pela tua Visão e comentários q são sempre bem vindos e uma mais valia para o blogue.
Abraço
VT