domingo, 18 de abril de 2010

White and Black

"Os Sulcos da Memória"
.
O rumor do pulso, a lentidão
do mar
na dobra do lençol,
as inumeráveis
vozes do verão em ruína
- a carícia hesita entre os olhos
e a mão
(Eugénio de Andrade in "Os lugares do lume")
.

Nights In White Satin - The Moody Blues 

9 comentários:

Maria, Simplesmente disse...

Poema e música bem escolhidos.
Um belo "White and Black"
Bom fim de semana
Maria

luisa - fotografia disse...

Uma foto diferente das que habitualmente tem,talvez por isso me seja um pouco dificil comentar.
Acompanhada de belas palavras e de um som lindissimo este white and black terá concerteza uma simbologia própria.

luisa

Submarino Amarelo disse...

Em 1967 a editora Decca decidiu publicitar um novo método de gravação Stereo contratando um grupo de Blues e meia dúzia de músicos de formação clássica para gravar uma versão “moderna” da Sinfonia do Novo Mundo, de Dvorak. Incapazes de tal cometimento, os Moody Blues gravaram uma sequência de canções que acompanhavam o decorrer do dia (Dawn, Morning, etc). Como só havia seis composições, e era preciso usar os outros músicos, acrescentaram interlúdios musicais vagamente “clássicos” e estenderam a última por quase 7 minutos. Essa duração, invulgar na época, impediu “Nights In White Satin” de ser um êxito de vendas mundial como foi o LP (nos EUA rádio nenhuma ficava tanto tempo sem publicidade).
Só em 1972 uma "short version" da canção, com menos três minutos, se impôs, tornando-a um êxito e um símbolo da época. É essa versão que aqui têm, sem o final original e um ligeiro corte no meio.
A fotografia é excelente e ilustra bem a canção, já que Justin Hayward a escreveu precisamente depois de receber um jogo de lençóis de cetim como prenda de um amigo...

Anónimo disse...

Excelente...!
Sendo a côr, manifestação de energia( Luz), sendo uma percepção visual, considera-se a côr Branca, a mais completa já que "possue" todas as outras....., sendo considerada a côr Preta, como a "ausência" de luz, mas estranhamente é esta ultima que predominando no Universo, forma a côr Branca. Confuso?, Não necessariamente........, diria até muito simples. Tendo em conta muitos estudos realizados, principalmente no que se refere á influencia das cores sobre nós assim como algumas caracteristicas(funcionais) especificas achei interessante partilhar algumas "curiosidades/sabedorias" vindas de civilizações antigas e orientais. Assim á côr Preta associam a imagem: Mulher (YIN), Terra, Noite, Sedução e Mistério; a côr Branca associam a imagem: Homem (YANG), Céu, Dia, Objectividade e Transparência.
Adoptando uma posição de Equilibrio e Bom Senso, as 2 complementam-se sejam quais forem os cenários e ou situações.....(digo eu).
Gosto particularmente do pormenor das "dobras e marcas" deste "White and Black que naturalmente pode alimentar todo e qualquer tipo de fantasia de Prazer, associado ao Lirismo de "(K)Nights in White Satin" que aproveito para reforçar com a parte final do poema que só é conhecido na versão original (mais longa) e que diz:
"...That rules the night
Removes the colours
From our sight
Red is gray and
Yellow white
But we decide
Which is right
And
Which is an Illusion".
Abraço
AC

Anónimo disse...

"Eu falo do jardim onde começa
um dia claro de amantes enlaçados”.

Eugénio de Andrade
MV

alice atras do espelho disse...

Gosto do contraste e da simplicidade.

Bjs

VT disse...

Saúdo vivamente o regresso dos comentários de MV e da Luísa - que nos têm feito falta. Realço mais uma vez a mais valia de ter um "expert" sobre música, como o Submarino, contribuindo com a sua sabedoria para que este blogue seja melhor. Agradeço ainda o completíssimo e simpático comentário de AC e as palavras estimulantes de Maria e de Alice.
De facto a foto sobre matéria branca e preta foi ainda tratada a "preto e branco" e não a cores. Claro que há propsitadamente uma inversão das palavras: Em vez de "Black and White" dizemos "White and Black".
Bem hajam
VT

António disse...

Adoro quando o vasco transforma a realidade e o lado estético e poético vem ao de cima.
AD

VT disse...

Abraço António.
VT