quarta-feira, 29 de julho de 2009

And I Love You So

"And I Love You So" é uma canção escrita por Don McLean (n. em 1945) e integrava o seu 1º álbum: “Tapestry” (gravado em 1969). Curiosamente este 1º Album de McLean foi rejeitado por 34 (!!!) editoras discográficas antes de vir a ser aceite pela Mediarts que o editou em 1970. Apesar de ter colhido boa opinião da crítica o disco não fez grande êxito. No entanto, veio a ser gravada, mais tarde, por outros intérpretes (incluindo Perry Como em 1973 e Elvis Presley em 1977 – que a integrava quase sempre nas suas actuações ao vivo). Mas McLean viria a obter a notoriedade, em 1971, com o seu 2º álbum: “American Pie” que foi um sucesso estrondoso. Uma das suas canções: Vincent – já publicada em 21 de Maio deste ano, neste Blog – atingiria, rapidamente, o 1º lugar nos hits do momento. Mas a mais famosa composição de McLean é “American Pie” dedicada a 3 pioneiros do Rock´n Roll que morreram, em 1959, num célebre desastre de avião: Buddy Holly (enorme a sua influência nos primeiros tempos do Rock´n Roll), Ritchie Valens (La Bamba) e The Big Bopper. Daí a expressão “The Day the Music Died” em referência a esse evento. McLean refere no entanto que a canção, escrita em 1960, reflecte também algo autobiográfico. American Pie foi nº 1 no Billboard, apenas um mês após a sua gravação, lugar onde se manteve 4 semanas. Foi objecto de várias “cover versions” –incluindo a de Madonna e, em 2001, alcançaria ainda o 5º lugar no “ranking” das melhores 365 canções de sempre – votadas através da Recording Industry Association of America e da National Endowment for the Arts (por curiosidade referimos que foi superado apenas por: “Over the Rainbow (Judy Garland), “White Christmas” (Bing Crosby), “This Land is your Land” (Woody Guthrie) e “Respect” (Aretha Franklin). McLean gravou, até 1990, 14 álbuns, com inúmeras canções conhecidas (" Crying" gravado em 1980 por Rot Orbison, “Castles in the Air”, “Since I Don´t Have You”, “It´s Just the Sun”, etc.) e escrevendo temas para outros intérpretes como foi o caso de “Killing Me Softly with His Song” (Roberta Flack). Neste ano (2009) fomos surpreendidos com novo disco (“Addicted to Black”), mas continuámos sempre fiéis a um 1º amor. À sua canção “And I love you So” que expressa bem o que sentimos e dizemos quando estamos apaixonados. Simplicidade e Beleza. Como as flores brancas que encontrei numa das margens da Lagoa do Óbidos. VT
And I Love You So – Don McLean

7 comentários:

São Caixinha disse...

Olá Vasco!

Que agradável surpresa esta canção que não ouvia há uma eternidade...e que interessante a sua estória! Agradeço e retribuo com este poema... se por mais nada, porque é tão bonito dizer estas palavras em Espanhol!

Poesia
Y fue a esa edad...Llegó la poesia
a buscarme. No sé, no sé de dónde
salió, de invierno o río.
No sé como ni cuando,
no, no eran voces, no eran
palabras, ni silencio,
pero desde una calle me llamaba,
desde las ramas de la noche,
de pronto entre los otros, entre fuegos violentos o regressando solo,
allí estaba sin rostro
y mi tocaba.

Yo no sabia qué dicir, mi boca
no sabía
nombrar,
mis ojos eran ciegos,
y algo golpeaba en mi alma,
fiebre o alas perdidas,
y me fui haciendo solo,
descifrando
aquella quemadura,
y escribí la primera línea vaga,
vaga, sin cuerpo, pura
tonteria,
pura sabiduria
del que no sabe nada,
y vi de pronto el cielo
desgranado
y abierto,
planetas,
plantaciones palpitantes,
acribillada
por flechas, fuego e flores,
la noche arrolladora, el universo,
ebrio del gran vacío
constelado,a semejanza, a imagen
del misterio,
me sentí parte pura
del abismo,
rodé con las estrellas,
mi corazón se desató en el viento.

Pablo Neruda

Bjs,
São

Submarino Amarelo disse...

Don McLean merece sem dúvida a chamada de atenção e num post anterior já me pronunciei sobre ele.
Há aqui um pequeno erro já que “Killing Me Softly with His Song” é uma canção inspirada por Don McLean e não escrita por ele.
Charles Fox and Norman Gimbel escreveram-na baseados num poema que a cantora Lori Lieberman escreveu (Killing Me Softly With His Blues)depois de ver um espectáculo ao vivo de McLean. A própria Lori gravou a música em 1971 mas foi Roberta Flack que a tornou famosa em 1973.

VT disse...

É verdade. Julguei que Don também tinha colaborado no início da canção mas afinal ficou-se apenas por inspirá-la.
Obrigado São pelo lindo poema e Submarino pela rectificação.
VT

Anónimo disse...

Em vez de um comentário,permita me o autor deste blog que aqui expresse o meu agradecimento pela oportunidade que tenho vindo a ter na contemplaçao de tão belas fotografias.É visitar uma exposição de fotografia de um modo diferente...!
De forma alguma pretendo desvalorizar a sintonia destas com os textos e as musicas igualmente maravilhosas.A fotografia sempre me fascinou.
RP

VT disse...

Obrigado RP pelas palavras simpáticas e apareça sempre.
Será sempre bem vindo (a).
VT

agata disse...

gosto da foto! :)
*beijinhos

Anónimo disse...

Maravilhoso enquadramento!
Maclean um encanto, como são as flores bravias/silvestres, que aparecem quase do nada, nos mais variados lugares e que por isso teem uma beleza especial, é a espontaneadade do que é natural!!!
AC