segunda-feira, 27 de julho de 2009

Lua cheia sobre a Foz

Richard Rodgers e Lorenz Hart escreveram, em 1933, a primeira versão da canção que viria a ser conhecida, mais tarde, por “Blue Moon”. Foi composta para Jean Harlow cantar num dos seus filmes e chamava-se “Oh Lord, make me a movie star”. Surgiu um ano depois adaptada para novo filme, primeiro com o nome de “It´s just that kind of Play” e depois “The bad in every man” para ser interpretada por Shyrley Ross – tendo passado despercebida. Porém, em 1935, Hart escreveu (a contragosto) a sua versão final (e mais comercial), com o objectivo de atingir um publico mais vasto, que passou a ser tema de abertura de um programa de rádio denominado Hollywood Hotel, tendo sido gravada pela primeira vez com a voz de Conee Bowsell. Integrou a banda sonora de inúmeros filmes (p. ex. “Os irmãos Marx no Circo” e “Viva las Vegas”) e passou a ser alvo de inúmeras interpretações que incluem também Amália Rodrigues entre muitos outros (p. ex: Louis Armstrong, Tonny Bennett, Ella Fitzgerald, Sam Cooke, Elvis Presley, Cowboy Junkies, Billie Holiday, Bob Dylan, Frankie Laine, Elkie Brooks, Ivan Lins, Julie London, Dean Martin, Sinatra, Supremes, Mel Tormé, Rod Stewart, etc.). No entanto tornou-se mundialmente conhecida através de uma interpretação Doo-Woop dos Marcels, em 1961, com a famosa introdução: “bomp-baba-bom” “dip-da-dip”, atingindo rapidamente o 1º lugar dos “Charts”. Escolhi, no entanto, uma versão (1995) pouco conhecida de um conjunto também pouco conhecido em Portugal e do qual sou ouvinte atento: The Mavericks. Uma versão “sweet and strong”… VT
Blue Moon – The Mavericks

9 comentários:

Anónimo disse...

Fotografia muito bonita,lindos tons de azul anilado.Sugere a Lua envolta num feto humano.
"Blue Moon"...uma canção de embalar a VIDA!
MV

Submarino Amarelo disse...

São as versões, a capacidade de ser "utilizada" em diversos contextos por diferentes intérpretes que transforma as canções em standards e as eterniza.É claramente o caso desta e a sua história está aqui contada.
Os Mavericks são um grande grupo, sugiro o álbum "What a Crying Shame" (de 1994) a quem os queira conhecer.
Das versões "modernas" de Blue Moon eu prefiro a dos Cowboy Junkies, mas eu sou suspeito em relação a tudo o que a Margo Timmins canta...

Isabel disse...

O azul da lua é extraodinário..
Linda fotografia tão em sintonia com a Musica igualmente muito bonita.Bjs

VT disse...

O que seria deste Blog sem os comentários dos amigos...
Obrigado
VT

Anónimo disse...

Apressei-me a contribuir para a “Lua Cheia dos Amigos”, com Poesia:

A Lua

Sobre o mar a lua deitou sua lamúria
esparramou nas águas oceânicas sua fúria
cheia de si mesma
minguou até escurecer a própria face
tornou-se um quarto crescente
de gemidos e mágoas
envelheceu
até lembrar-se de que uma parte sua
ainda era nova

Lua cheia
lua minguante
lua crescente
lua nova
Lua que é meia
lua carente
canta suas dores
em verso e prosa.
Úrsula Avner
Bj
FC

VT disse...

Claro que FC faz parte dos Amigos.
VT

Neves disse...

Passeei pelo blog e gostei muito.

Vou passar a ser uma visita assídua.

É muito bom aprender e sentir que não estamos sós em imensos pensamentos e anseios.

Beijinho

Rosarinho Neves

VT disse...

Obrigado Rosarinho pela simpatia.
Fico muito satisfeito que apareça sempre a visitar o Bolg.
VT

Anónimo disse...

"Blue Moon" sim, canção minha conhecida e arquivada no meu "disco duro", ..:) Quanto á foto!..., hummm, é espectacular, sobretudo porque capta um fenómeno muito particular, a "transformação" da cor... e do "luar".....Sinto-me cada vez mais enriquecida com tudo o que vou tendo oportunidade de aprender sempre que passo por aqui. Obrigada por partilhar todo este conhecimento musical, vastissimo e de grande qualidade.
Aqui tambem aprendi que não devo dizer que um post é melhor que outro..., cada um é Unico e é sempre uma agradavel Surpresa...
AC