segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Tropical Mood

Nesta semana de Setembro em que, inesperadamente, se faz sentir um calor quase digno dos trópicos, lembrei-me de aqui trazer um tema a condizer. "Begin the Beguine" foi mais um dos temas famosos escritos por Cole Porter (1891–1964), que o compôs ao piano no bar do Hotel Ritz de Paris. Em Outubro de 1935, faria a sua 1ª aparição pública através da voz de June Knight num musical da Broadway, “Jubilee” no Teatro imperial de Nova York. O tema viria a tornar-se um dos maiores sucessos da era do “Swing” e tem vindo a ser interpretado por inúmeros cantores de grande craveira – incluindo recentemente os REM que jogando com as palavras chamaram-lhe “Begin the Begin” no disco “Lifes Rich Pageant”. Fred Astaire e Eleanor Powell dançaram uma célebre versão instrumental no filme “Broadway Melody” (1940), Deanna Durbin cantou-o, em 1943, noutra fita (“Hers to Hold”) e, em 1946, foi a vez de Carlos Ramirez interpretar a canção na longa-metragem “Night and Day”. Curiosamente "Begin the Beguine” surge, em 1968, no filme “Yellow Submarine”, com os Beatles, durante uma conversa entre John e Jeremy. Mas para hoje escolhi uma soberba interpretação (2001) do grande pianista cubano Pepesito Reyes que, para além de ser o responsável pela linha melódica principal de “Guantanamera”, acompanhou nomes como Benny Moré, Duke Ellington, Nat King Cole e Tito Puente. Com 85 anos, Reyes continuava a tocar e encantar pelo mundo inteiro com o seu estilo marcado por um sabor tropical. É difícil resistir e não dançar este tema embalado pelo ritmo caloroso do “pianar” mágico de Pepesito Reyes (“even the palms seem to be swaying…”).
VT
...
When they begin the beguine
it brings back the sound
of music so tender
it brings back a night
of tropical splendor
it brings back a memory of green
I'm with you once more
under the stars
and down by the shore
an orchestra´s playing
and even the palms
seem to be swaying
when they begin the beguine
to live it again
is past all endeavor
except when that tune
clutches my heart
and there we are swearing to love forever
and promising never
never to part
a moments divine
what rapture serene
to clouds came along
to disperse the joys we had tasted
and now when I hear people curse the chance that was wasted
I know but too well what they mean
so don´t let them begin the beguine
let the love that was once a fire
remain an ember
let it sleep like the dead desire I only remember
when they begin the beguine
oh yes let them begin the beguine
make them play
till the stars that were there before
return above you
till you whisper to me
once more darling I love you
and we suddenly know what heaven we're in
when they begin the beguine

Begin the Beguine – Pepesito Reyes

6 comentários:

Magnolia disse...

Tão bonito.......

alice atras do espelho disse...

Que bela noite tropical aos olhos de VT. Uma foto que gosto muito. =)

Bjs do outro lado

Anónimo disse...

Apesar dos imensos idiomas falados no Mundo,a MÚSICA,tal como a Arte de um modo geral,constitui uma forma de comunicação Universal.
A dança,também,está-nos no corpo,é da sua Natureza!
Como gostei deste melodioso "pianar"!!!
MV

cx disse...

Que óptima ideia esta, de recordar este tema, nesta agradável interpretação de Pepesito Reyes! Por estes lados o outono parece ter-se instalado como que definitivamente...mas por momentos foi verão na minha alma! Que bom!!
São

mariabesuga disse...

Fantástico poder abrir a janela e ouvir sentada no quintal esta interpretação de uma melodia intemporal assim neste dia de calor tropical e meio insólito para a época...
Apetecia dançar...

Um abraço Vasco
Obrigada

VT disse...

Fantástico! Obrigado pelos Vossos supersimpáticos comentários. Gostei de gostar que tivessem gostado de ouvir e ou dançar...
Que bom.
VT